A história da UEM teve o seu embrião na “Sociedade de Estudos Gerais Universitários”, criada pelo Decreto-Lei n.º 44 530, de 21 de Agosto de 1962. Por via do Decreto-Lei n.º 48 790, de 23 de Dezembro de 1968, foi elevada à categoria de Universidade, passando a chamar-se Universidade de Lourenço Marques.

A 1 de Maio de 1976, passou a denominar-se Universidade Eduardo Mondlane, por via do Decreto nº. 12/95 de 25 de Abril, estabelecendo como seu primeiro objectivo formar profissionais com alto grau de qualificação técnica e científica, capazes de participarem activamente no desenvolvimento do País.

Ao longo da sua história e celebradas as suas bodas de ouro, a UEM foi desenvolvendo-se como instituição, através do incremento de cursos quer em área das ciências exactas quer nas ciências humanas nas suas mais diversificadas facetas, dos níveis académicos, tendo evoluído para não oferecer apenas os cursos de graduação, passando a oferecer também os cursos de pós-graduação. Esta evolução da UEM foi sendo acompanhada pela sua expansão ao ter contribuído grandemente na construção de outras instituições do ensino superior para as zonas centro e norte do pais, bem como na construção de mais delegações da UEM fora de Maputo, numa clara abrangência deste nosso vasto Moçambique tentando se aproximar cada vez mais da sociedade.
Ao longo destes cinquenta anos, várias gerações passaram, os currículos foram evoluindo mas sem perder de vista o objectivo primário de “formar profissionais com alto grau de qualificação técnica e científica, capazes de participarem activamente no desenvolvimento do país”.

Fazendo uma retrospectiva do seu desenvolvimento, a UEM sente que as diferentes gerações precisam, à semelhança da relação entre o cordão umbilical e o ser em gestação, de estar interligadas para o bem comum. A Comunidade Alumni-UEM é o cordão indispensável para a existência mútua com vista a alcançar os objectivos da UEM patentes na visão e missão da Universidade Eduardo Mondlane.